Publicações OAB-GO

15/04/2021 15:00

Em 8 dias, campanha alcança 7,3 mil e chega a 30 municípios

A campanha de vacinação contra H1N1 da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás ultrapassou a marca de 7 mil pessoas imunizadas. O esforço da Casag para levar a vacina a advogados e familiares, com 7.389 doses aplicadas até terça-feira (13), é o maior dentre as entidades classistas de Goiás e vai alcançar até o dia 23 de abril as 54 subseções da OAB-GO espalhadas pelo Estado.

CONFIRA AQUI CRONOGRAMA DE VACINAÇÃO

Até agora, a equipe de saúde da Casag já abriu a vacinação em 30 municípios. Nesta quarta-feira (14) a campanha está sendo iniciada em Caçu, Quirinópolis, Jussara e na cidade de Goiás. Este ano, o serviço de home care atenderá advogados e advogadas com mais de 60 anos. Nesse caso, a dose poderá ser aplicada nos demais familiares também em casa.

“Diante do cenário de extrema preocupação com a saúde, por causa da pandemia, não poupamos esforços para facilitar ao máximo o acesso dos advogados e familiares à vacinação, com toda segurança possível”, afirma o presidente da Casag, Rodolfo Otávio Mota. “Tenho vistoriado pessoalmente o trabalho das nossas equipes nos municípios e posso assegurar que não existe entidade classista que tenha feito uma campanha desse porte até agora. Os elogios à organização têm sido praticamente unânimes”, complementa Rodolfo Otávio Mota, que aproveitou para parabenizar os profissionais envolvidos na campanha.

A reserva das vacinas, da marca Aboott, pode ser feita pelo site da Casag a um custo de R$ 50,00 a unidade. Cada inscrito pode adquirir até quatro doses. A entidade subsidia o valor da dose, que chega a custar três vezes mais em clínicas particulares. A vacina oferecida pela Casag é a tetravalente, que imuniza contra os vírus das gripes H1N1, H3N2 e os dois subtipos da gripe B.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina da gripe (vírus influenza), embora não proteja contra o coronavírus, ajudará a reduzir “o espiral de epidemias desses outros vírus que podem ocorrer e confundir a população”, diminuindo a sobrecarga do sistema de saúde.

Compartilhar: